Cultivo e Benefícios

Marca de chocolate quer desmistificar a biotecnologia  

Uma nova marca de chocolate está a surpreender os aficionados por cacau com uma campanha inovadora pró-OGM. Numa edição limitada de quatro barras de chocolate, lançadas recentemente no mercado norte-americano, a Ethos Chocolate explica como a biotecnologia pode ajudar a proteger plantações importantes como a papaia do Havai, as laranjeiras da Flórida e até o próprio cacaueiro.

Lançada pela Fresh Look, uma associação sem fins lucrativos constituída por mais de 1600 agricultores, as barras de chocolate retratam a história da biotecnologia na agricultura, procurando fazer justiça às maravilhas da sua aplicação em culturas agrícolas como a papaia do Havai, a laranja da Flórida e até a própria árvore do cacau, que se encontra atualmente ameaçada pelo aumento global da temperatura, pela escassez de água e pelas pragas.

As previsões mais otimistas atribuem mais 30 anos de vida ao cacaueiro, pelo que a engenharia genética surge como uma solução para salvar a árvore do chocolate da extinção. “Sabemos que muitos norte-americanos são apaixonados por chocolate, por isso criámos um produto para ilustrar, de forma tangível, os benefícios de uma tecnologia que é muitas vezes mal-entendida”, justificou a investigadora e membro da Fresh Look, Rebecca Larson. “Vale a pena salvar o cacaueiro e o chocolate e para que as pessoas conheçam os benefícios da biotecnologia, o que poderia ser melhor do que criar nossa própria linha de chocolates?", acrescentou R. Larson.

Feitas com cacau cultivado de forma sustentável da República Dominicana, as barras de chocolate Ethos são quatro e cada uma simboliza a história “heróica” de uma cultura transgénica, fazendo justiça às maravilhas da aplicação da biotecnologia na agricultura como solução viável para alimentar a população mundial.

A barra “The Optimist” (em português, Otimista) explica como a engenharia genética pode ser usada para proteger os cacaueiros de várias frentes de batalha provocadas pelas alterações climáticas. “The Surviver” (Sobrevivente) diz como a tecnologia dos OGM salvou toda a produção da papaia havaiana depois de ter sido dizimada pelo vírus ringspot. “The Hero” (Herói) conta como os OGM estão a ajudar os produtores de laranjas da Flórida a combater uma doença que ameaça todas as plantações de citrinos neste estado norte-americano. E “The Trendsetter” (criador de tendências) faz referência às maças que graças à biotecnologia permanecem frescas por mais tempo, evitando o desperdício de alimentos.  

Sobre as mensagens, ou histórias, em cada uma das barras de chocolate, Rebecca Larson afirma: “Queremos ajudar a educar o público sobre o valor dos OGM e o impacto positivo que a biotecnologia pode ter numa escala local e global, nomeadamente na redução substancial de pesticidas. Queremos que as pessoas apreciem estas deliciosas barras de chocolate, mas também que queiram ter um conhecimento mais aprofundado e real dos alimentos transgénicos.”

Leia o artigo original, em inglês, na AGDAILY.

Leia também a última edição da newsletter rEvolutions, da EuropaBio, e subscreva-a aqui para receber futuras edições por email.


Share