Cultivo e Benefícios

Edição de genoma e RNAi usados na produção de biocombustível de algas

Em 2015, o consumo global médio de petróleo foi de 93 milhões de barris por dia. Mas os investigadores estão a tentar substituir essa fonte fóssil de energia por uma mais limpa e sustentável: as algas. Através de ferramentas biotecnológicas, elas podem ser usadas para a produção de biocombustível e dessa forma contribuir para alcançar o sétimo objetivo de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

 

A tentativa não é nova. Há muitos anos que os investigadores procuram produzir combustíveis a partir de algas, para fins comerciais, mas esse propósito revelou-se sempre inviável graças a um fator: as algas são capazes de atingir um crescimento rápido ou de produzir um alto teor de lipídios, mas não ambos. Ou seja, era possível produzir biocombustível em larga escala, mas não de uma forma competitiva.

Foi justamente esse problema que os investigadores da empresa multinacional americana Synthetic Genomics e ExxonMobil conseguiram resolver, alterando um gene específico das algas através de tecnologias como a edição de genoma (CRISPR-cas) o RNA de interferência.

Com este trabalho, os cientistas provaram que as algas podem ser uma matéria-prima sustentável para a produção de biocombustíveis e um contributo importante para a redução do consumo de petróleo. Saiba como, aqui.

E aqui conheça os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

 

 


Share