Cultivo e Benefícios

De que modo a Agrotecnologia está a ajudar os agricultores do mundo inteiro?

Há séculos atrás, antes do advento e da adoção em grande escala da agricultura mecanizada, a produção de alimentos era limitada, dependendo inteiramente do trabalho manual. Com o crescimento da população mundial, era mais que certo que a escassez iria ocorrer. Hoje, no entanto, à boleia da revolução tecnológica, os agricultores adotaram um sistema de produção mais mecanizado e, ao fazê-lo, ultrapassaram efetivamente as limitações do passado. A tecnologia é agora o alicerce das práticas agrícolas modernas e, à medida que se vai desenvolvendo, o setor agrícola também evolui, acompanhando e explorando as potencialidades e a eficiência das tecnologias emergentes.

Em cada avanço tecnológico, criam-se soluções ainda mais inovadoras e práticas para os desafios agrícolas existentes. Mas, de que maneira a tecnologia afetou a agricultura nos últimos tempos?

Uma oportunidade para os países em desenvolvimento

Nos países em desenvolvimento - onde a desertificação descontrolada, as pragas e doenças das plantações e a persistente falta de infraestruturas continuam a ameaçar a produção agrícola -, a tecnologia está a tornar-se vital para remediar a situação. Países como a Nigéria e a Índia já contam com sistemas de irrigação que mitigam os efeitos da seca. Por outro lado, a engenharia genética, em combinação com sistemas de controlo de pragas melhorados reduziu significativamente os impactos das pragas e doenças sobre o rendimento das culturas e levou à produção de produtos agrícolas melhores e com aparência mais apetecível. Por exemplo, a bactéria Bacillus thuringiensis confere resistência a insetos ao algodão e a algumas outras culturas de rendimento.

Em África, os agricultores também estão a ser sensibilizados para usarem essas tecnologias e, desse modo, conseguirem melhorar as suas capacidades de produção e distribuição. No Quénia e na Nigéria, a startup de tecnologia Hello Tractor está a permitir que os agricultores (que, de outra forma, não podem pagar a mecanização) aluguem tratores a taxas favoráveis, ​​usando apenas os seus telemóveis. A própria tecnologia móvel tornou-se uma ferramenta onipresente no dia-a-dia dos agricultores africanos, porque lhes permite obterem informações valiosas sobre a manutenção das culturas, previsões do tempo e medidas políticas relacionadas com o setor agrícola, além de ajudá-los a estabelecer contacto com outros agricultores e comerciantes e entidades de financiamento.

Desenvolvimento da agricultura de escala

A tecnologia também levou ao desenvolvimento de métodos mais sofisticados e eficientes de empreender práticas agrícolas. A agricultura mecanizada é praticamente padrão nas nações desenvolvidas e, agora, com os avanços significativos no campo da robótica e das tecnologias de sensoriamento, os robôs estão a ser incorporados nas plantações. Na Holanda, há já projetos em andamento para desenvolver uma máquina que fará a colheita de pimentos doces de uma forma complemente automatizada, utilizando algoritmos de precisão. De resto, no Reino Unido já existe um robô semelhante, capaz de colher um morango a cada dois segundos (os seres humanos escolhem entre 15 e 20 morangos, por minuto).

Na pecuária, os chamados rastreadores de animais e salvadores do solo de silício já foram desenvolvidos para ajudar os agricultores a monitorizar a saúde do seus animais e solos. Mas, novas tecnologias à parte, nas últimas décadas a tecnologia funcionou como a espinha dorsal da agricultura. A construção de instalações de armazenamento melhoradas e métodos mais engenhosos de cultivo (em estufa) permitiram produzir mais com menos recursos.

Tecnologia permitiu melhorar a gestão de produtos agrícolas

No passado, os agricultores viviam em estreita proximidade com os consumidores (compradores) dos seus produtos. Hoje, por via da globalização, alguns produtos agrícolas são cultivados a milhares de quilómetros de distância do local onde são consumidos. Por exemplo, a maior parte do café do mundo é produzida no Brasil e no Vietname, no entanto, o produto é consumidor em todo o mundo. A logística e os aspetos técnicos envolvidos nesse processo são possíveis graças à integração da tecnologia na agricultura. Instalações de armazenamento altamente tecnológicas permitem que agora os produtos agrícolas possam ser armazenados por períodos mais longos, ou até indefinidamente através de pré-processamento. Além de aumentar a produtividade e o lucro, esses mecanismos aprimorados de armazenamento reduzem o desperdício, coisa que antes era comum no setor.

Segundo estimativas da Organização das Nações Unidas, até 2050 a população mundial está inclinada a atingir os impressionantes 9,1 mil milhões. Alimentar este número de pessoas implicará o aumento dos níveis de produção de alimentos em mais de 70%. A tecnologia é a chave para enfrentar esse surto. Desde que a taxa de evolução tecnológica seja mantida a par da inovação agrícola, pode-se esperar uma eficiência, eficácia e produtividade ainda maiores do setor agrícola.

Este artigo foi escrito por Alexandro Pando, empreendedor multinacional, inovador, consultor e CEO da Xyrupt Technologies, e publicado na revista Forbes.

 

Leia mais informações na newsletter rEvolutions, da EuropaBio. Pode subscrevê-la para receber futuras edições por email.


Share